Uso da sibutramina exige análise criteriosa, diz Conselho de Farmácia

    Depois da proibição do uso de sibutramina na Europa, o Conselho Federal de Farmácia (CFF) divulgou nota para alertar que o uso da substância envolve uma análise “criteriosa” de riscos, já que a redução de massa corporal promovida pelo fármaco é modesta diante dos perigos que ele apresenta.

    A Agência Europeia de Medicamentos decidiu proibir no mês passado a venda da sibutramina no continente. O veto também se estende aos médicos, que não poderão mais recomendar a substância para os seus pacientes.

    Nos Estados Unidos, a FoodDrug Administration (FDA), solicitou aos fabricantes dos medicamentos que contém sibutramina que adicionem às bulas a contraindicação de uso em pacientes com história de doenças cardiovasculares.

    As recomendações internacionais estão baseadas em um estudo de 2009 que revelou um crescimento do risco de ataques cardíacos e infarto do miocárdio em pacientes obesos ou com sobrepeso e alto risco de doenças cardiovasculares.

    Segundo o estudo, as chances de desenvolver enfermidades cardiovasculares saltou 16% entre aqueles pacientes que utilizaram a substância.

    No Brasil, a venda da sibutramina é regulada pela Portaria 44/1998, da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), requerendo prescrição médica que deve ser apresentada e retida na farmácia.

    fonte: Valor Online – 03/02/2010

    Uma Resposta para “Uso da sibutramina exige análise criteriosa, diz Conselho de Farmácia”

    1. Fabiana

      A portaria que regulamenta a venda deste medicamento é a 344/1998.
      Sugiro que sejam fornecidas informações direcionadas aos profissionais e proprietários das farmácias, sobre a forma de comercialização, tipo de receita, termo de compromisso e o que mais estiver relacionado à dispensação deste medicamento. Bem como a RDC para consulta.

      Obrigada!

      Responder

    Deixar uma Resposta