Toxina da bactéria do botulismo mostra efeitos terapêuticos para combater dor de cabeça

    Estudo com a neurotoxina botulinum revela que a substância provoca melhorias nas condições da maioria dos pacientes que sofrem da cefaleia primária. Estes resultados precisam ser confirmados em pesquisas maiores.

    De acordo com estudo publicado nos arquivos de Neuro-Psiquiatria, o uso da neurotoxina botulinum – produzida pela bactéria causadora do botulismo – pode apresentar efeitos positivos na redução dos efeitos da cefaleia primária em punhaladas. O trabalho é de autoria de Elcio Juliato Piovesan, pesquisador do Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná (HC/UFPR), e colegas, e foi disponibilizado na edição de abril de 2010 do periódico.

    Os autores explicam que para coleta de dados foi realizado estudo com 26 pacientes de ambos os sexos, portadores da cefaleia primária em punhaladas (ou CPP), sendo que dois deles foram excluídos por falta de informações necessárias para o levantamento. A média de idade dos estudados foi de aproximadamente 43 anos. Os pacientes foram submetidos a tratamento com a variedade comercial da toxina Botox® (Allergan, Inc. Irvine, CA – USA), através de inoculação subcutânea.

    Entre os resultados da pesquisa, os especialistas revelam que “o efeito da neurotoxina botulínica do tipo A (NTBo-A) sobre a cefaleia foi investigado em 24 pacientes. Três pacientes apresentaram completa remissão dos sintomas. Dezenove pacientes mostraram uma redução que começou na segunda semana e que manteve-se por um período de 63 dias. Em dois pacientes a NTBo-A não apresentou nenhum efeito terapêutico”.

    Fonte: Clic News

    Deixar uma Resposta