Remédio para tratar espinhas pode curar câncer

    O câncer de pele não-melanoma é o mais frequente no Brasil. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), são estimados 113.850 novos casos para 2010. A boa notícia é que um estudo australiano acredita que um composto natural ofereça esperança de tratamento rápido, barato e eficaz para a doença: o óleo de melaleuca ou óleo da árvore do chá, extraído da espécie nativa do país, comumente aplicado em espinhas e picadas de inseto.

    A equipe da University of Western Australia testou o produto em camundongos. O resultado foi encolhimento do câncer em apenas um dia e sua eliminação em três.

    Ao contrário de outros métodos de tratamento, que podem causar náuseas, por exemplo, o óleo de melaleuca produziria somente uma leve irritação na pele. A líder da pesquisa,Sara Greay, disse ao jornal inglês Daily Mail que espera encontrar financiamento para um ensaio clínico pequeno, com cerca de 50 pessoas com lesões pré-cancerosas, com o objetivo de prevenir o desenvolvimento da patologia. A publicação online Cancer Chemotherapy Pharmacology divulgou as constatações do trabalho de três anos.

    Vale acrescentar que, entre os tumores de pele, o tipo não-melanoma é o de maior incidência e mais baixa mortalidade. Os sintomas listados pelo Inca são feridas na pele cuja cicatrização demore mais de quatro semanas, variação na cor de sinais pré-existentes, manchas que coçam, ardem, descamam ou sangram. Para se prevenir, o instituto recomenda evitar exposição ao sol das 10h às 16h e aplicar na pele produtos com filtros solares com fator de proteção 15 ou mais, além de usar chapéus e óculos escuros.

    Diário do Pará

    Deixar uma Resposta